Há em nossa trajetória pessoas que resolveram nos tratar com o silêncio. Não me refiro à distanciação proposital e justificada nos casos de relações tóxicas. Refiro-me a aqueles em que nāo é possível entender o porque se recebe tal tratamento. Quando acontece nos perguntamos: "o que fiz para receber esse tratamento?" e simplesmente não há explicação.

O silêncio do outro como forma de tratamento dói porque inicialmente nos invalida como individuo. Geralmente é recebido de forma injustificada e gratuita.

A mensagem que recebemos inconscientemente é: "você nāo vale nem o meu esforço para eu te dizer bom dia"; "nem mesmo por educação eu consideraria falar com você";"se você me desejar bom dia o meu silêncio vai te mostrar que o esforço em construir uma melhor relação comigo é simplesmente inútil";"não preciso falar com você, você é dispensável" ou "você que lute para que eu te trate melhor", "porque você não se comporta como eu espero eu te trato com o silêncio" e por mais que se esforce o suposto melhor tratamento nunca virá.

Normalmente quem recebe esse tratamento irá abordar e tentar dialogar e a justificativa padrāo é algo como: "nunca te agredi, aliás, como posso te agredir se eu nunca te disse nada..!?" (passivo-agressivo); "nāo é nada disso... Só estou preocupado com meus problemas (todos temos problemas) e nem sabia que era tāo importante assim te responder" (quem é que gosta de ser ignorado?);"não sabia que diálogo era tāo importante para você" (temos uma convivência próxima e dialogo é base de toda relação saudável).

Quem trata os outros com o silêncio sistematicamente é um narcisista. Alguém que nāo tem empatia e não se sente mau por estar menosprezando o próximo porque o que realmente importa é ele mesmo. Narcisista é um termo tão distante de nossa realidade que quase acreditamos que é um termo exclusivo de livros de psicologia, ou letra de música, mas na verdade, todos temos amigos, familiares ou conhecidos que tem comportamentos baseados no Narcisismo.

Quem se cala é quem tem problemas e dos sérios. É uma tentativa de calar aquilo que o outro evoca em mim. O vazio, a frustração, a infelicidade são tão grandes que prefere calar-se, calar o outro e calar tudo aquilo que me lembre disso. É uma fuga do enfrentamento de si e dos outros. É um comportamento passivo agressivo que comumente é recebido de pessoas próximas já que pressupõe a necessidade do diálogo naquela relaçāo.

Cabe a nós o auto amor e nos protegermos. Não temos culpa do vazio do outro. Uma vez oferecida ajuda, e não se tendo resposta positiva, afaste-se. Não por vingança, mas sim por compaixão. Como disse Caetano Veloso "Narciso acha feio o que não é espelho".


Narcissusis. Uma pintura do mestre barroco Italiano Caravaggio datada em cerca de 1597-1599.



A auto intitulada cantora cristã Ana Paula Valadão se posicionou contra os homossexuais com frases como: "Isso não é normal e é assim que nós cremos. Qualquer outra opção sexual é uma escolha do livre arbítrio do ser humano e qualquer escolha leva a consequências. A bíblia chama as escolhas contrárias ao que Deus determinou como ideal como pecado e o pecado tem uma consequência que é a morte. Esta aí a AIDS para mostrar que a união entre dois homens causa uma enfermidade que leva a morte e contamina as mulheres, enfim, não é o ideal de Deus."


Quantas barbáries e crimes contidas em um minuto de fala. Mais do que infeliz, isso é uma fala criminosa. LBGTfobia é, Graças a Deus, crime no Brasil. Esse crime deve sera respondido já que Ana Paula Valadão foi denunciada por crime de LGBTfobia. Não me cabe aqui tentar explicar a vocês o porque eu repudio veementemente essas falas.


O motivo desse texto é um convite à sua reflexão em relação a responsabilidade que um cantor tem diante de sua carreira e da influencia de suas falas. É por isso que escrevo! Para informar, com responsabilidade, que Ana Paula Valadão, além de um ser humano sem nenhuma empatia, com graves incompletudes espirituais que não cabem à mim narrar, é uma artista de qualidade desprezível. Na verdade, não é artista. Se fosse, não se posicionava ao favor do ódio, que sim, matou e continua a matar a população homossexual.


As vezes ao público leigo, fatores como fama, sucesso, competência, qualidade, tanto humanas quanto artísticas acabam por se misturar. A fama de Ana Paula Valadão é explicada por um forte marketing e pelo conteúdo altamente sensível, ou seja, religião, com o qual trabalha. O trabalho de um cantor gospel dialoga diretamente com a fé do outro. O fato é que muitos no público não conseguem ainda diferenciar isso. Me recuso. Repudio. Te convido a reflexão. O seu silêncio permite que falas como essa aconteçam diariamente dentro de congregações e continuem a fortalecer esse discurso de ódio.


Escolha o amor ao próximo. Se aproxime do Cristo que abraçou os que dele necessitavam, sem olhar qual eram os pecados. Olhe para o humano, no outro e em você. Não use os olhos preconceituosos e limitados de Ana. Olhe com os verdadeiros olhos do Pai.


29 visualizaçõesEscreva um comentário

Atualizado: Set 5

Entra. Fica a vontade! Tira o sapato. Deixa o julgamento la fora. Aqui você não precisa dele.

Serão pequenos textos. Simples frases para reflexao. Pilulas. Facil acesso.

Porque?

Vontade de comunicar, registrar, deixar saber e acalmar a mente.

Simplicidade e verdade. Se os olhos não olham pra mim, eu entro pela ponta dos seus dedos.

Quando seu pescoço se desdobrar, estarei aqui, redobrado.

Português, porque vem do coração.

A voz será ouvida. A tela sera lida. A mudança acontecerá. Na velocidade do coração.

Força. Luz. Criatividade e mediunidade, se é que não o são o mesmo.

  • Facebook
  • Instagram
  • Twitter
  • YouTube

© 2020 by Samuel Ferreira. All rights reserved.